O pai da criança encontrada morta no domingo em Peniche terá sido o autor do crime, de acordo com o juiz de instrução do Tribunal de Leiria, que hoje decretou a prisão preventiva ao homem e à madrasta da menina.

O pai da criança terá concretizado, "como autor, um crime de homicídio qualificado e de violência doméstica", refere o comunicado lido por uma oficial de justiça com as medidas de coação decretadas pelo juiz de instrução do Tribunal de Leiria.

No comunicado lido publicamente, o juiz refere que a madrasta da criança está "fortemente indiciada" de ser a autora de um "homicídio qualificado por omissão e sob dolo eventual".

Ambos os arguidos são suspeitos, em coautoria, do crime de profanação de cadáver.

A criança, de 9 anos, foi dada como desaparecida na manhã de quinta-feira, depois de uma denúncia do pai no posto de Peniche da GNR.

Após três dias de buscas, a Polícia Judiciária (PJ) de Leiria encontrou o corpo da criança no domingo, numa mata na Serra D'el Rei, no concelho de Peniche, distrito de Leiria, e deteve o pai e a madrasta da vítima.

O resultado preliminar da autópsia à criança aponta para uma morte violenta, com lesões na cabeça e indícios de asfixia.

Embora haja indícios de asfixia, a criança de 9 anos terá sofrido agressões em vários locais, o que lhe causou diversas lesões, incluindo na cabeça, segundo fonte policial.

Ainda não é possível garantir se alguma destas agressões resultou na morte ou as duas situações em simultâneo, uma vez que as causas da morte só serão confirmadas depois de exames laboratoriais.

Este ainda não é o relatório final da autópsia, mas apenas um exame preliminar.

(Notícia atualizada às 12:48)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.