“Perante a violência extrema de alguns espectadores tauromáquicos a manifestantes já imobilizados pela GNR, as autoridades demonstraram sinais de passividade e dualidade de critérios não detendo no local estes agressores”, afirma Francisco Guerreiro, porta voz do PAN, em comunicado.

Segundo foi noticiado, três manifestantes anti-tourada invadiram a arena em protesto contra a realização do evento no dia 9 de agosto e foram detidos, sendo posteriormente agredidos por outras pessoas que assistiam ou participavam na tourada, prolongando-se os desacatos já no exterior do recinto.

“O partido questionou também quantos feridos decorreram deste evento, quantas ocorrências similares aconteceram nos últimos 10 anos em praças fixas e móveis, dentro e fora dos recintos, tal como que dispositivo estava presente no local, quantos operacionais foram chamados como reforço e quais as suas identificações”, lê-se ainda no texto do PAN.

Ainda segundo várias notícias, a GNR abriu “um processo de averiguações” e o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro estará também a investigar o sucedido.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.