Proveniente de Rangun, o Papa chegou a Daca às 14:45 (08:45 em Lisboa) onde vai permanecer até sábado.

O Bangladesh, com 160 milhões de habitantes, enfrenta desde o verão o exílio forçado de milhares de pessoas da comunidade rohingya que fogem da Birmânia.

Mais de 620 mil pessoas da minoria muçulmana birmanesa começaram a abandonar o país em direção ao Bangladesh, há três meses, para escaparem a perseguições que as Nações Unidas consideram “limpeza étnica”.

A crise humanitária que atinge os rohingyas é uma das mais graves ocorridas no século XXI e está a marcar a deslocação do chefe da igreja católica.

Hoje de manhã, ainda na Birmânia, o Papa celebrou uma missa que juntou os católicos de Rangun.

No Bangladesh, a comunidade católica é uma minoria constituída por 380 mil pessoas sendo que esta deslocação é a primeira visita de um chefe da igreja católica depois da viagem do Papa João Paulo II, em 1986.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.