O Papa Francisco esteve 10 dias internado no Hospital Gemelli, em Roma, onde foi operado, mas já terá recebido alta hospitalar esta quarta-feira recebeu de acordo com o jornal Avvenire, da Conferência Episcopal Italiana.

O pontífice vai agora recuperar no Vaticano durante o resto do corrente mês, uma vez que não tem compromissos públicos, segundo a agência Ecclesia.

O Papa deu entrada na unidade de saúde a 4 de julho após a oração dominical do Angelus, quando anunciou aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro do Vaticano da sua próxima viagem à Hungria e Eslováquia, de 12 a 15 de setembro.

Esta foi a primeira hospitalização conhecida do chefe da Igreja da Católica desde que foi eleito para líder máximo da Igreja Católica, em 2013.

Qual o motivo da operação?

O Vaticano indicou que ao Papa tinha sido diagnosticado "estenose diverticular sintomática do cólon", uma referência a um estreitamento no intestino grosso.

Um diverticulum é uma saliência tipo bolsa através da parede muscular do intestino.

Quando a diverticula fica inflamada — uma condição comum, especialmente em pessoas mais velhas — parte do intestino pode por vezes estreitar e pode ser necessária cirurgia, de acordo com os gastroenterologistas. Tal cirurgia pode ser realizada sob anestesia geral, possivelmente com uma intervenção laparoscópica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.