Segundo a agência Ecclesia, D. José Tolentino Mendonça foi o segundo nome a ser anunciado após o angelus e torna-se assim o sexto cardeal português do século XXI e o terceiro a ser designado no atual pontificado.

O novo cardeal junta-se no Colégio Cardinalício a D. José Saraiva Martins, D. Manuel Monteiro de Castro, D. Manuel Clemente e D. António Marto.

O arcebispo português, de 53 anos, será o segundo membro mais jovem do Colégio Cardinalício — D. Dieudonné Nzapalainga, cardeal da República Centro-Africana, tem 52 anos.

O consistório para a criação de novos cardeais está marcado para 5 de outubro, no Vaticano.

Tolentino Mendonça nasceu em Machico, na Madeira, em 15 de dezembro 1965, e foi ordenado padre em 1990. No ano passado, foi nomeado pelo Papa Francisco arquivista e bibliotecário do Vaticano, com a categoria de arcebispo. Tolentino Mendonça ficou a tutelar a mais antiga biblioteca do mundo, substituindo Jean-Louis Bruguès, que assumiu o cargo em 2012.

Padre desde os 24 anos e poeta, mas também ensaísta e professor, Tolentino de Mendonça é formado em teologia bíblica. É autor de dezenas de publicações, especialmente de poesia, mas também de ensaios e textos pastorais, e foi galardoado em 2001 com a ordem do Infante D. Henrique, e em 2015 com a Ordem de Sant'Iago da Espada.

Os 13 novos cardeais nomeados são:

  • Dom Miguel Angel Ayuso Guixot, mccj – Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso.
  • Dom José Tolentino Medonça – Arquivista e Bibliotecário da Santa Romana Igreja.
  • Dom Ignatius Suharyo Hardjoatmodjo – Arcebispo de Jakarta.
  • Dom Juan de la Caridad García Rodríguez – Arcebispo de San Cristóbal de la Habana.
  • Dom Fridolin Ambongo Besungu, o.f.m. cap – Arcebispo de Kinshasa.
  • Dom Jean-Claude Höllerich, sj – Arcebispo de Luxemburgo.
  • Dom Alvaro L. Ramazzini Imeri – Arcebispo de Huehuetenamgo.
  • Dom Matteo Zuppi – Arcebispo de Bolonha.
  • Dom Cristóbal López Romero, sdb – Arcebispo de Rabat.
  • R.P. Michael Czerny, sj – Subsecretário da Seção de Migrantes – Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral

A estes 10 nomes juntam-se ainda dois arcebispos e um bispo que se destacaram pelo "seu serviço à Igreja", disse o Papa.

  • Dom Michael Louis Fitzgerald – Arcebispo Emérito de NepteDom
  • Mons. Sigitas Tamkevicius, sj – Arcebispo Emérito de KaunasDom
  • Mons. Eugenio Dal Corso, psdp – Arcebispo Emérito de Benguela

Pode consultar aqui o comunicado oficial do Vaticano com o currículo dos novos cardeais.

Nomeação de Tolentino como cardeal é reconhecimento de "personalidade ímpar", diz Marcelo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que a nomeação de Tolentino de Mendonça como cardeal traduz o “reconhecimento de uma personalidade ímpar”, assim como a presença da Igreja Católica na sociedade portuguesa.

“O Presidente da República manifesta o mais profundo jubilo pela elevação do senhor Dom José Tolentino de Mendonça ao cardinalato, traduzindo o reconhecimento de uma personalidade ímpar, assim como da presença da Igreja Católica na nossa sociedade, o que muito prestigia Portugal”, lê-se numa nota publicada na página da internet da Presidência da República.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinha ainda a “excecional relevância” de Tolentino de Mendonça como “filósofo, pensador, escritor, professor e humanista”, recordando que o convidou para presidir às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, em 2020.

De acordo com a mesma nota, o Presidente da República adianta que tenciona estar presente na cerimónia de imposição do barrete cardinalício.

Governo saúda Tolentino de Mendonça por nomeação como cardeal

“Saudamos a designação de D. José Tolentino de Mendonça como cardeal. Trata-se de um dos mais qualificados vultos da Igreja e de uma personalidade cimeira da cultura portuguesa. É também um dos melhores pensadores sobre o potencial da nossa Diáspora”, afirmou António Costa, numa mensagem publicada na rede social Twitter.

Governo da Madeira manifesta “grande orgulho” pela nomeação de Tolentino como cardeal

O Governo Regional da Madeira expressou o "maior regozijo" e "grande orgulho" pelo anúncio da nomeação como cardeal de José Tolentino de Mendonça, feita hoje pelo Papa Francisco.

"Uma nomeação que não pode deixar de ser relevada pelo Governo Regional, que se associa ao sentimento generalizado dos madeirenses, que se habituaram, há muito, a reconhecer a superior capacidade intelectual do padre, poeta e humanista", refere o executivo regional em comunicado de imprensa.

Representante da República na Madeira congratula-se com nomeação de Tolentino para cardeal

O representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Irineu Cabral Barreto, congratulou-se hoje com a nomeação de Tolentino de Mendonça como cardeal, destacando a “profundidade da sua religiosidade”.

“Esta nomeação permite sublinhar a singularidade do Senhor Dom José Tolentino Mendonça, referência maior da nossa Região, a profundidade da sua religiosidade, cultura e pensamento, tocando a todos com as suas mensagens vibrantes de sentido humanista”, refere o juiz conselheiro, numa curta nota enviada à agência Lusa.

Irineu Cabral Barreto termina a missiva desejando a Tolentino de Mendonça, nascido em Machico, “sucesso na sua missão, tão essencial nos tempos desafiantes” em que se vive.

Bispo do Funchal diz que diocese está honrada com nomeação de Tolentino como cardeal

O bispo do Funchal, Nuno Brás, afirmou hoje que a diocese madeirense se sente honrada pela nomeação de José Tolentino de Mendonça como cardeal, anunciada hoje pelo Papa Francisco.

"Foi com grande alegria que a diocese do Funchal tomou conhecimento da eleição de D. José Tolentino para o Colégio dos Cardeais", refere Nuno Brás, em comunicado de imprensa, realçando que "não podemos também deixar de nos sentir honrados pela escolha do Santo Padre Francisco".

CDS-PP congratula-se com nomeação de Tolentino como cardeal 

“A notícia da nomeação como cardeal de D. José Tolentino de Mendonça é uma alegria para todos os portugueses”, refere em nota de imprensa o CDS-PP, desejando-lhe as “maiores felicidades na sua missão”.

Os centristas reconhecem no novo cardeal um “extraordinário humanismo e abertura ao mundo” nas funções que desempenhou, como padre, capelão e posteriormente vice-reitor da Universidade Católica, como responsável pela Pastoral da Cultura e pela Comunidade da Capela do Rato ou Arquivista da Biblioteca do Vaticano.

“Nos seus ensaios, crónicas e poemas, D. José Tolentino de Mendonça marca o pensamento português, nunca esquecendo a beleza do encontro com os outros nem as coisas mais essenciais da vida”, sublinha o CDS-PP.

A todas estas qualidades, os centristas juntam ainda a “simplicidade e capacidade de viver na procura”.

(Notícia atualizada às 22:01)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.