De acordo com os dados recolhidos pela agência de notícias francesa até às 11:00 de Lisboa, já morreram pelo menos 578.746 pessoas e há mais de 13.346.550 casos infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan.

Pelo menos 7.238.600 casos foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

A AFP adverte que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 136.466 e 3.431.574 casos, respetivamente. Pelo menos 1.049.098 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 74.133 mortes em 1.926.824 casos, Reino Unido com 44.968 mortes (291.373 casos), México com 36.327 mortes (311.486 casos) e Itália com 34.984 mortos (243.344 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 83.611 casos (seis novos entre terça-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes e 78.693 curados.

A Europa totalizou quarta-feira às 11:00 GMT 203.507 mortes para 2.873.277 casos, América Latina e Caraíbas 149.392 mortes (3.491.037 casos), Estados Unidos e Canadá 145.300 mortes (3.539.951 casos), Ásia 45.452 mortes (1.856.267 casos), Médio Oriente 21.220 mortes (949.542 casos), África 13.735 mortes (624.406 casos) e Oceânia 140 mortes (12.074 casos).

A AFP avisa que devido a correções pelas autoridades ou a publicação tardia dos dados, os valores de aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

Portugal, com 1.676 mortes registadas e 47.426 casos confirmados é o 34.º país do mundo com mais óbitos e o 40.º em número de infeções.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.