Segundo um comunicado da petrolífera brasileira divulgado nesta sexta-feira para investidores, o novo empreendimento irá desenvolver projetos nos segmentos de energia solar e eólica.

A Petrobras terá a participação de 49% da nova empresa, sendo os outros 51% de propriedade da Total.

“O referido acordo tem natureza vinculante pelo qual as partes se comprometem a negociar os documentos necessários para a formalização da ‘joint venture’. Inicialmente, a ‘joint venture’ buscará desenvolver uma carteira de projetos de até 500MW de capacidade instalada ao longo de um horizonte de cinco anos”, informou a Petrobras.

A Total também pagará à Petrobras um valor adicional de 50 milhões de dólares (43,8 milhões de euros), sem considerar os ajustes devidos quando terminar a transação.

“Petrobras e Total reafirmam a importância da continuidade dos estudos sobre novas frentes de investimento em conjunto, reforçando a cooperação tecnológica existente entre as duas companhias. Além disso, continuarão buscando o desenvolvimento de novas oportunidades no segmento de gás e energia incluindo o de energia térmica”, concluiu o comunicado da empresa brasileira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.