António Ventinhas desejou felicidades a Lucília Gago no cargo de procuradora-geral da República e disse esperar que a nova titular "mantenha o trabalho desenvolvido por Joana Marques Vidal".

"Espero que o Ministério Público continue a ter autonomia dos restantes poderes e os seus magistrados sejam livres para investigar", disse à Lusa o presidente do SMMP.

Em sua opinião, uma "tarefa desta envergadura" não pode ser empreendida por uma "única pessoa", razão pela qual entende que Lucília Gago deve "rodear-se de uma boa equipa" para enfrentar os desafios que se avizinham.

António Ventinhas admitiu que "não estava à espera" do nome de Lucília Gago para o cargo máximo do MP, apontando como outro desafio importante da futura PGR o de dar resposta às atribuições e competências do Ministério Público (MP), mas que para isso acontecer é necessário que o MP seja dotado dos "meios necessários para o efeito".

António Ventinhas transmitiu um "voto de agradecimento" à atual PGR pelo trabalho desenvolvido, considerando que o MP e a justiça portuguesa muito devem à magistrada que no dia 12 de outubro termina o mandato de seis anos à frente daquela magistratura.

O Presidente da República nomeou hoje Lucília Gago como procuradora-geral da República, com efeitos a partir de 12 de outubro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.