Em comunicado, a PJ explica que a droga estava dissimulada em 12 isoladores sísmicos que tinham sido transportados por via marítima até um porto nacional.

Sobre os dois homens detidos, que já tinham antecedentes criminais e ficaram em prisão preventiva depois de presentes às autoridades judiciais, recaem fortes suspeitas de integrarem uma organização criminosa com ligações a vários países e que se dedicava à introdução de grandes quantidades de cocaína no continente europeu.

A operação “Sismo” decorreu de uma investigação iniciada de forma coordenada em Portugal e em Espanha, em meados de 2020.

No âmbito desta investigação, o Cuerpo Nacional de Policia já tinha detido em território espanhol dois homens e identificado uma mulher, todos nacionais de um país da América Latina e fortemente suspeitos de integrarem a mesma organização, além de ter igualmente apreendido uma “elevada quantidade de cocaína”.

Em comunicado, a PJ explica que a forma como a droga vinha dissimulada “tornou extremamente difícil a sua deteção” e que, para se proceder à remoção da cocaína do interior das peças de engenharia, “foi necessário recorrer a maquinaria pesada de corte, habitualmente utilizada na indústria de metalomecânica”.

“Este modus operandi era até agora desconhecido”, sublinha.

Na operação hoje divulgada esteve envolvida a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes e a Diretoria do Norte da PJ, em estreita articulação com o Cuerpo Nacional de Polícia de Espanha.

As diligências realizadas em território nacional contaram com o apoio da Autoridade Tributária e Aduaneira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.