Em comunicado, a Polícia Judiciária refere que o desmantelamento da “sofisticada plantação de cannabis”, constituída por duas estufas montadas num armazém de grandes dimensões situado na região de Lisboa, acontece após uma investigação iniciada este ano e que permitiu realizar uma operação de combate ao tráfico de droga.

Durante a operação, a PJ apreendeu 600 plantas que estava no interior das estufas e constituiu arguidos quatro homens, dois dos quais foram detidos e, após terem sido presentes às autoridades judiciárias, ficaram em prisão preventiva.

Segundo a PJ, as duas estufas estavam apetrechadas com o equipamento necessário para o cultivo, em condições ideais, de grandes quantidades de plantas de cannabis, nomeadamente com aparelhos de circulação de ar, ventoinhas, grande quantidade de balastros e lâmpadas 600 watts de potência e respetivas fontes de alimentação, mangas de ventilação, filtros de carbono e fertilizantes diversos, tendo também todo este equipamento sido apreendido.

A Polícia Judiciária adianta que os quatro arguidos, de nacionalidade estrangeira e sem profissão lícita conhecida, integravam um grupo criminoso organizado que utilizava Portugal para “o cultivo ilícito de consideráveis quantidades de folha de cannabis que após o processo de secagem era exportada para diversos países do norte da Europa, onde era comercializada".

A PJ, através da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE), vai continuar com a investigação em colaboração com a Europol e autoridades de outros países europeus.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.