Dois cidadãos iraquianos foram detidos na quarta-feira pela Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT) da PJ em Lisboa por suspeita de adesão e apoio à organização terrorista ISIS, de acordo com informação revelada hoje pelas autoridades portuguesas.

Em causa estão indícios da prática dos crimes de adesão e apoio a organização terrorista internacional, terrorismo internacional, e crimes contra a humanidade.

Em comunicado enviado às redações, a PJ indica que as "provas recolhidas indiciam que estes dois indivíduos assumiram distintas posições na estrutura do ISIS / Daesh" e que estavam a ser "igualmente objeto de investigação por parte das competentes Autoridades Judiciárias iraquianas", sendo suspeitos de terem integrado as milícias do estado islâmico em Mossul, no Iraque.

No entanto, aquela unidade da polícia esclarece que "não foram identificados indícios de que tivessem cometido quaisquer crimes desta natureza em território nacional".

À agência Lusa, fonte policial referiu que os homens detidos, com 32 e 34 anos, estavam a ser investigados pela PJ desde em 2017. Segundo as referências, no âmbito da cooperação judiciária internacional, estes dois suspeitos terão estado em Mossul em 2016 e os elementos recolhidos indicam que pertenciam às fileiras das milícias do Daesh, adiantou a mesma fonte.

Os dois homens, que viviam na mesma habitação, estão detidos no estabelecimento prisional anexo à Polícia Judiciária e vão ser interrogados hoje à tarde no Tribunal de Instrução Criminal, para o primeiro interrogatório e consequente aplicação das medidas de coação.

A operação foi conduzida pela Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT) da PJ e contou também com a colaboração do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) — embora a nível internacional as autoridades judiciárias iraquianas (através da UNITAD-ONU) contribuíssem com um apoio que permitiu recolher "prova indiciária bastante para imputar os referidos crimes àqueles cidadãos".

(Notícia atualizada às 13h10)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.