Desde o final de agosto, quando lançámos o Plenário, mais de centena e meia de pessoas fez-nos chegar a sua prioridade para o país. Em concreto, 170 propostas chegaram ao SAPO24 até 27 de setembro, variando de temas como a necessidade de reforma do sistema político até às preocupações com o ambiente.

São todos esses dados que estivemos agora a analisar — e as conclusões a que chegamos, embora não representativas do país, mostram aquilo com que os leitores do SAPO24 estão preocupados, mas já lá vamos.

Os dados foram-nos enviados voluntariamente pelos participantes, após submissão por correio eletrónico. De um total de 170 participações, excluímos apenas aquelas em que um ou mais parâmetros necessários à análise não foi preenchido (localização, idade ou profissão, por exemplo). Esta exclusão foi necessária para que os dados pudessem ser comparados e analisados sob diversas dimensões.

Assim, a nossa amostra tem 135 contributos válidos, arrumados por distrito, idade, profissão e sugestão. Reforçamos: esta não é uma sondagem, nem sequer os dados devem ser lidos como reflexo da opinião nacional. Nada disso, trata-se apenas de um retrato daquilo que preocupa os participantes.

Quem foram, então, os participantes do Plenário?

Nesta análise temos 135 pessoas. Destas, a grande maioria — 107, ou seja, 79,3% — são homens. Apenas 28 (20,7%) mulheres submeteram os seus contributos ao Plenário. Este grande desequilíbrio não reflete, assim, a distribuição por género da população portuguesa.

As estatísticas nacionais mostram que as mulheres são mais do que os homens: no deve e haver, elas são 52,8% da população e eles apenas 47,2%.

Mas olhemos agora para a localização destas pessoas. Os leitores que participaram no Plenário estão sobretudo no distrito de Lisboa. É de lá que vêm 34,1% das contribuições. Longe das 46 participações de Lisboa, segue-se o Porto, com apenas 9,6% (13) dos participantes a identificar-se como sendo deste distrito, seguido de perto por Setúbal, com 8,9% (12) e Aveiro, com 7,4% (10) das participações.

Importa ainda olhar para um terceiro nível de análise demográfica: o que fazem os participantes do Plenário? Construindo um retrato da distribuição profissional dos participantes, concluímos que a maioria, 71,1% (96), está de alguma forma ligada ao terceiro setor. Em segundo lugar, surgem os reformados, com 16,3% (22) das participações. Em terceiro surgem os desempregados, com 4,4% (6) das participações.

Quais as prioridades do Plenário SAPO24?

Para contabilizar as sugestões dos participantes no Plenário, começámos por atribuir categorias de desejos. Ou seja, fizemos uma síntese da ideia principal em cada proposta (apesar de o SAPO24 ter pedido aos participantes que assinalassem uma prioridade, alguns referiram vários temas. Para efeitos de análise considerou-se a primeira proposta sugerida ou a mais desenvolvida pelo leitor) e atribuímos uma categoria mais ampla para permitir o agrupamento temático.

Vamos, então, aos números: identificámos, no total, 24 ideias diferentes, que vão desde a redução do número de deputados na Assembleia da República, à aposta no potencial marítimo português.

Olhando para a frequência de cada proposta, percebemos que 22,2% (ou 30 pessoas) dos participantes quer uma reforma do sistema político — o que pode ir desde a revisão do número de freguesias à alteração de leis ou da composição do parlamento.

Este é um dos temas, aliás, em debate esta quarta-feira aqui no SAPO24. A partir das 15 horas, José Ribeiro e Castro e Margarida Salema D'Oliveira Martins discutem o sistema eleitoral. A conversa será moderada pela jornalista Isabel Tavares e transmitida em direto no Facebook.

A segunda vontade mais comum é o combate à corrupção, desejo de 11,1% (15) dos participantes, seguida pelo desejo de uma reforma laboral (salários, condições, função pública), que é prioridade para 10,4% (14) dos participantes.

Em terceiro, surgem como prioridade, para oito pessoas (5,9% para cada desejo), reformas no sistema de ensino e fiscal.

Vale mencionar também temas comuns como o combate ao despovoamento/interioridade; os problemas com a água; a reforma florestal; e as reformas do sistema judicial e do Serviço Nacional de Saúde.

Fomos ainda ver se nos diferentes distritos as prioridades variam. A conclusão? Nem por isso. Mas há mesmo assim alguns pormenores interessantes: por exemplo, o despovoamento só é prioridade para mais do que uma pessoa em… Setúbal. A Habitação é a escolha de duas pessoas, uma em Leiria e outra em Santarém. E a água é o primeiro ponto a tratar por pessoas dos Açores e dos distritos de Aveiro, Bragança, Lisboa e Portalegre.

E agora?

Agora, há que debater. Esta quarta-feira vamos falar do sistema político e quinta-feira debruçamo-nos sobre as questões do ambiente e do interior, numa conversa moderada pela jornalista Rute Sousa Vasco. As legislativas estão mesmo aí, são já no próximo domingo, dia 6. Delas vai sair a composição do parlamento, de onde sairá o próximo governo.

Assim, domingo, 6 de outubro, o dia arranca no SAPO24 com um acompanhamento ao minuto que se vai manter ao longo de todo o dia, permitindo-lhe inteirar-se de forma rápida e simples das informações mais recentes. Simultaneamente, a nossa redação estará a publicar notícias, trazendo-lhe de forma mais desenvolvida os tópicos relevantes deste dia. A partir das 19h30 arranca a emissão em direto, que será transmitida em 24.sapo.pt, no Portal SAPO e respetivas páginas de Facebook. São vários os convidados que se vão sentar à mesa para analisar resultados, debater possibilidades e refletir sobre o processo eleitoral nos dias que correm.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.