A polícia atualizou hoje para 22 o número de mortes da explosão na Arena de Manchester, após um concerto na noite de segunda-feira.

O comandante da polícia de Manchester, no Reino Unido, acrescentou ainda que 59 feridos estão a ser tratados em oito hospitais diferentes da região.

Num balanço sobre a investigação feito esta manhã, Ian Hopkins adiantou que a polícia acredita que o responsável pela explosão foi um homem apenas, que “transportava um engenho explosivo improvisado, que ele detonou causando esta atrocidade”.

A polícia acredita que o autor do ataque terá morrido na explosão, tratando-se possivelmente de um ataque suicida.

As autoridades não avançam, ainda, detalhes sobre a identidade do atacante e pedem às pessoas para não especular.

“A nossa prioridade é trabalhar com a unidade nacional contraterrorismo e serviços secretos britânicos para encontrar mais detalhes sobre o indivíduo que conduziu este ataque”, sublinha o comunicado partilhado na conta da rede social Twitter da polícia.

Esta é uma investigação em permanente atualização. A polícia britânica mobilizou "meios consideráveis para a investigação e para o patrulhamento na Grande Manchester". Mais de 400 agentes foram destacados nesta operação, adiantou ainda o comandante da polícia de Manchester.

Este ataque ocorreu na segunda-feira à noite no pavilhão Arena de Manchester, onde decorria um concerto de Ariana Grande, indicou a polícia.

Em comunicado, o serviço de ambulâncias da região noroeste de Inglaterra informou ter transportado 59 feridos para hospitais de Manchester.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.