Em comunicado, a Polícia Judiciária informa que identificou e deteve três homens — de 42, 43 e 47 anos — por "fortes indícios da prática de um crime de homicídio".

Em causa estão três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) suspeitos de matar "um homem de nacionalidade ucraniana, de 40 anos", que "tentou entrar, ilegalmente, por via aérea, em território nacional", a 10 de março.

Em nota enviada à comunicação social, o SEF confirma igualmente que foram "hoje [segunda-feira] detidos três Inspetores em funções no Aeroporto de Lisboa por suspeita da prática do crime de homicídio".

O crime terá ocorrido no aeroporto de Lisboa, nas instalações do Centro de Instalação Temporária, no passado dia 12 de março, "após a vítima ter supostamente provocado alguns distúrbios no local", informa a Judiciária.

Os detidos serão agora "presentes a primeiro interrogatório judicial, no qual lhe serão decretadas as medidas de coação processual adequadas".

A operação da Polícia Judiciária contou com a colaboração do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Em comunicado, o SEF explica que, uma vez confirmado o óbito, o caso foi de imediato comunicado "ao Exmo. Procurador Adjunto de turno junto do DIAP de Lisboa. A ocorrência foi também comunicada à Inspeção Geral da Administração Interna. O SEF está desde o início a colaborar com as autoridades envolvidas na investigação e tomou de imediato as medidas previstas em sede disciplinar".

Na sequência deste caso, o SEF "informa que o Diretor e o Subdiretor da Direção de Fronteiras de Lisboa do SEF cessaram funções com efeitos a partir de hoje".

Entretanto, o Ministro da Administração Interna determinou "a abertura de um inquérito à Direção de Fronteiras de Lisboa do SEF (aeroporto de Lisboa), designadamente ao funcionamento do Espaço Equiparado a Centro de Instalação Temporária (EECIT) daquele aeroporto".

Foram ainda abertos "processos disciplinares ao Diretor e Subdiretor de Fronteiras de Lisboa, cujas comissões de serviço foram hoje cessadas, ao Coordenador do EECIT, bem como a todos os envolvidos nos factos relativos ao falecimento de um cidadão estrangeiro naquelas instalações"

O caso foi revelado no domingo pela TVI, segundo a qual o cidadão ucraniano desembarcou na Portela no dia 11, proveniente da Turquia e queria entrar em Lisboa, mas foi barrado na alfândega do aeroporto pelo SEF, que o impediu de entrar enquanto turista.

Detalha o Jornal de Notícias  que o cidadão foi travado por suspeitas de irregularidades. Foi então decidido que o indivíduo seria colocado no próximo voo para a Turquia, país de onde tinha chegado.

No entanto, enquanto aguardava pelo voo, o homem ter-se-á sentido mal e foi escoltado para um hospital.

No regresso ao aeroporto de Lisboa, foi colocado na enfermaria do Centro de Instalação Temporário. Terá sido nesse local que foi violentamente agredido até à morte.

O homem foi encontrado no dia seguinte, 12 de março, e o caso ficou sob alçada da Polícia Judiciária.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.