Segundo Argo Yuwono, a polícia quer ouvir Kaesang Pangarep em interrogatório, depois de ter recebido uma queixa sobre um vídeo que surgiu no Youtube em maio.

No entanto, um órgão de comunicação social local citou hoje o vice-chefe da Polícia de Jacarta, Syafruddin, que afirmou que o caso parece não indicar qualquer ofensa criminal e que, por isso, deverá ser arquivado.

O vídeo, de quase três minutos, intitulado "Ask Daddy for a Projet" ("pede um projeto ao pai, numa tradução livre) é uma referência aos filhos dos políticos indonésios que procuram favores pessoais para os seus negócios.

No filme são feitas também críticas aos indonésios que, durante a recente tensão sectária registada no país maioritariamente muçulmano, declararam que recusam realizar rituais fúnebres aos que apoiam não muçulmanos como líderes.

Várias associações de defesa e promoção dos direitos humanos têm apelado ao fim da Lei sobre a Blasfémia, que apelidam como "draconiana", que permite que alguém condenado possa ter de cumprir uma pena até cinco anos de prisão e que é frequentemente usada para atacar minorias no país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.