Quatro pessoas morreram hoje na sequência de várias explosões numa fábrica de pirotecnia e quatro outras estão desaparecidas, segundo fonte da Câmara de Lamego, que considerou a esperança de encontrar com vida os desaparecidos "é muito diminuta".

Antes desta informação, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) tinha confirmado três mortos e cinco desaparecidos. Estariam a trabalhar nesta fábrica oito pessoas.

O presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes, caracterizou hoje de “enorme tragédia” os mortos decorrentes de várias explosões numa fábrica em Avões, naquele concelho.

Francisco Lopes recordou ainda que o histórico dos incidentes em fábricas de pirotecnia "é conhecido”, mas explicou que com esta dimensão de mortos não há memória.

De acordo com página da Proteção Civil, estão no local dois helicópteros do INEM, 121 bombeiros e 40 viaturas.

O alerta para o incidente chegou ao Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu às 17:48.

Fonte da Câmara de Lamego disse à Lusa que a fábrica é uma unidade industrial pequena, de origem familiar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.