O polícia foi levado para o hospital, mas os médicos foram incapazes de salvar a mão e um dos olhos, acrescentaram as mesmas fontes.

A polícia de explosivos foi chamada a intervir para averiguar um saco suspeito que foi deixado à porta da livraria, que tem ligações a um grupo de extrema-direita chamado Casa Pound.

Quando os polícias se aproximavam, o engenho explodiu, disseram os investigadores citados pela Agi, explicando que a bomba estava armadilhada com um cronómetro.

A Casa Pound nasceu em Roma em 2003; o movimento tem várias centenas de membros, que realizam frequentemente protestos contra a política de imigração e contra a União Europeia.

O líder do grupo, Gianluca Iannone, disse que este é o terceiro ataque contra esta livraria “cujo único pecado é ser próximo da Casa Pound”.

O presidente da câmara de Florença, Dario Nardella, descreveu o incidente como “muito sério e sem qualquer justificação”.

O primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, chamou o ministro do Interior, Marco Miniti, para se inteirar do estado de saúde do polícia, segundo a Agi.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.