“Creio que, quer seja através do apoio de forças formadas através da cooperação portuguesa, quer seja através do apoio do Ruanda, em breve será possível deslocar os grupos terroristas das bases onde estão instalados, incluindo em Palma e Moçímboa da Praia, que são cidades importantes que importa retomar, e acredito que isso acontecerá nos próximos meses”, disse João Gomes Cravinho, em declarações à Lusa no final da sua audição na comissão parlamentar de Defesa Nacional.

Na comissão, o ministro disse que espera que o regresso destas populações seja possível “até ao final do ano” e destacou a importância da ajuda portuguesa e da missão em preparação pela União Europeia e pela Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) para restaurar a paz no norte de Moçambique.

Grupos armados aterrorizam a província de Cabo Delgado desde 2017, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo Estado Islâmico. Há mais de 2.800 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e 732.000 deslocados, de acordo com as Nações Unidas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.