"Os dados mostram que temos de retirar Portugal (exceto Açores e Madeira), Hungria, a Polinésia Francesa e Reunião da lista do Corredor Aéreo para garantir a segurança de todos. Se chegou a Inglaterra de algum destes destinos depois das 04h00 de sábado, terá de ficar em isolamento durante 14 dias", comunicou Grant Shapps, secretário de Estado dos Transportes do Reino Unido, através da sua conta oficial de Twitter.

A Escócia já tinha excluído Portugal da sua lista de “corredores internacionais” a partir de 5 de setembro, enquanto que o País de Gales aplicou restrições um dia antes, mas manteve a Madeira e Açores isentos de quarentena.

Grant Shapps acrescentou que a Suécia vai passar a estar isenta de quarentena.

Portugal só foi incluído na lista dos países com “corredores de viagem” com o Reino Unido há três semanas, a 20 de agosto, porém o aumento contínuo do número de casos de infeção em Portugal terá pesado na decisão, que era esperada na semana passada, quando ultrapassou o nível de 20 casos por 100 mil habitantes.

Na altura, Shapps alegou que não excluiu Portugal devido à “taxa de positividade” em declínio.

Portugal contabilizou hoje 585 novos casos de infeção relacionados com a pandemia de covid-19 e na véspera tinha registado 646, mais do dobro das registadas na terça-feira.

O índice de transmissibilidade efetivo (Rt) encontra-se atualmente nos 1,12, um valor considerado de risco.

A situação epidemiológica de covid-19 em Portugal agravou-se desde meados de agosto, de acordo com um estudo da Direção-Geral da Saúde (DGS) e Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), tendo sido registadas 3.909 novas infeções entre 17 e 30 de agosto.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.