“Foi escrita uma outra carta a solicitar mais elementos e ainda não obtive resposta e dentro de 15 dias”, se Espanha não responder, “insistiremos e, se houver resposta, iremos solicitar a mediação da UE porque está em causa o incumprimento” de um artigo da diretiva comunitária sobre este assunto, afirmou João Matos Fernandes.

O governante está a ser ouvido na comissão parlamentar conjunta das Finanças e do Ambiente, sobre o Orçamento de Estado para 2017.

O ministro do Ambiente respondia a uma questão da bancada do PSD sobre o seu silêncio acerca da Central Nuclear de Almaraz e especificamente da construção de um armazém para resíduos nucleares a 100 quilómetros da fronteira portuguesa.

Segundo as regras comunitárias, o país fronteiriço tem de pronunciar-se e João Matos Fernandes explicou que numa reunião com a ministra espanhola ficou preocupado já que “a avaliação do impacto ambiental foi há muito tempo, ocorreu ainda este Governo não era Governo, no início de outubro de 2015”.

“Não fui eu quem se fez de morto. Portugal não foi ouvido no tempo próprio”, disse João Matos Fernandes, aludindo ao comentário do deputado do PSD que falou sobre esta questão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.