“Foi retomado, com efeitos imediatos, o processo de certificação sanitária de animais vivos a partir de Portugal com destino a Israel”, lê-se numa nota da DGAV.

Israel tinha suspendido temporariamente este processo na sequência de uma irregularidade num dos lotes.

Em causa estava um lote de ovinos registados, “por erro do detentor”, como machos, mas continha algumas fêmeas.

A exportação de ovinos e caprinos para engorda com destino a Israel visa apenas animais do género masculino, pelo que “a situação em causa configura uma irregularidade”.

Segundo a DGAV, foi demonstrado que os animais produzidos em Portugal cumprem os requisitos impostos, estando reunidas as condições para retomar o normal funcionamento do mercado.

“As Autoridades Sanitárias de Portugal e Israel continuam a manter contactos bilaterais regulares, nomeadamente no que respeita à monitorização e acompanhamento das exportações de animais vivos”, indicou a DGAV, um serviço central da administração direta do Estado, com autonomia administrativa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.