Numa nota divulgada no Facebook, o município refere que esta situação determina a interdição da prática balnear apenas na praia da Parede, não afetando as restantes.

“Foi recolhida uma nova amostra para realização de contra-análise à qualidade da água balnear. Caso os resultados desta colheita revelem que a qualidade da água está reposta, a interdição será levantada”, pode ler-se na nota.

De acordo com o município, a empresa Águas de Cascais está a realizar verificações às redes e aos sistemas de saneamento, no sentido de apurar as causas possíveis dos resultados obtidos, uma vez que não é “evidente a causa da contaminação” da água.

A Câmara de Cascais indica ainda que as outras praias do concelho foram alvo de monitorização e análises, estando os resultados dentro dos parâmetros de referência.

A autarquia acrescenta que está a trabalhar em estreita articulação com as autoridades competentes nesta matéria, nomeadamente com a Agência Portuguesa do Ambiente, a Capitania de Cascais e a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.