Ainda antes de Rui Portugal, subdiretor-geral da Direção-Geral de Saúde, se tornar viral — mais pela forma do que pelo conteúdo — com uma mensagem aos portugueses com criativas recomendações para o Natal, já Francisca Silveira Machado, estudante do 5.º ano de Medicina, tinha inaugurado "o seu calendário do advento Covid".

“Uma acção por dia serve como sugestão para cumprir este Natal. Neste Natal, salvemos vidas”, lê-se na primeira publicação da iniciativa lançada no início de dezembro.

Criada em agosto deste ano, com a ajuda das ilustrações de uma amiga (@girart.eu), a página no Instagram "Medicina em linha" surgiu em resposta a uma necessidade identificada pela futura médica: "facilitar" o acesso à informação. E não só de Covid-19 ali se fala; as publicações de Francisca já versaram sobre a diabetes, as doenças sexualmente transmissíveis ou o sedentarismo.

"Cumprir as normas da DGS e do Governo não é opcional"

Francisca, de 22 anos, escolheu um conjunto de medidas "práticas e fáceis", mas "que podem fazer diferença" e começou esta empreitada no primeiro dia de dezembro. Num tom descontraído, a estudante de medicina, que trabalha na linha Covid-19 da Saúde 24, tem dado sugestões de como fazer "xeque-mate ao vírus" nesta quadra.

Recomendações com base nos seus "conhecimentos em saúde pública" mas "adaptados" ao Natal e a "esta nova realidade" — e sem nunca esquecer que "cumprir as normas da DGS e do Governo não é opcional".

Ora vejamos:

A última dica será publicada no dia 24, mas Francisca antecipa-a já: "Se tiver sintomas não vá, se tiver sintomas ligue para a Saúde 24". "Todas estas recomendações são importantes, mas mais importante é diminuir o risco", relembra a estudante.

"As pessoas não podem interpretar um teste negativo como um livre transito"

Para o presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, "tudo o que puder reduzir o risco é importante". Ao SAPO24, o médico deixa outras recomendações: reduzir os contactos, antes e depois das festividades, diminuir o número de agregados que se juntam (mais do que uma família) e fasear os encontros por diversos momentos.

Ricardo Mexia recomenda ainda que as celebrações desta quadra se organizem em espaços mais amplos, arejados, e que permitam o distanciamento, mantendo sempre a máscara colocada "o maior tempo possível". Não devem ser partilhados utensílios (como talheres e loiça) e toalhas de mão (na casa de banho).

As 10 recomendações da DGS para a época festiva

  1. Cumprir todas as regras em vigor no seu concelho, em relação à mobilidade e aos ajuntamentos de pessoas;
  2.  Quem estiver doente, com sintomas ou em isolamento profilático, tem de cumprir o que as autoridades de saúde determinaram;
  3. Reduzir os contactos antes e durante esta quadra;
  4. Reduzir o tempo de exposição em todos os momentos e, se possível, usar os espaços exteriores;
  5. Não mudar de agregados familiares durante a quadra festiva;
  6. Limitar as celebrações do agregado familiar com quem habita, mantendo contacto com outros membros ou grupos por via digital ou telefonemas;
  7. Manter o distanciamento físico em todos os momentos: transporte, preparação das refeições, convívios, etc. Evitar os cumprimentos tradicionais;
  8. Garantir o arejamento dos espaços e a desinfeção das superfícies, bem como dos objetos de partilha comum;
  9.  Lavar ou desinfetar as mãos frequentemente, usar a máscara de forma adequada e manter etiqueta respiratória;
  10. Evitar a partilha de objetos.

Para além disso, recorda, "as medidas genéricas são para continuar a cumprir". Falamos do uso de máscara, da etiqueta respiratória e da desinfeção das mãos.

Sobre a realização de testes na véspera dos encontros, o médico lembra que "é muito importante que as pessoas percebam que as medidas não são alternativas umas às outras. As pessoas não podem interpretar um teste negativo como um livre transito", diz.

"O vírus não identifica se é dia de Natal ou Passagem de ano" e, por isso, diz Ricardo Mexia, todas estas as recomendações não devem ser "descuradas" noutros dias.

E não se esqueça: nas noites de 24 e 25 de dezembro, será proibido circular na via pública a partir das 02:00 nos concelhos de risco elevado, muito elevado e extremo de transmissão pelo novo coronavírus.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.