Khan também propôs que se impeça a abertura de novos estabelecimentos de fast-food a menos de 400 metros de uma escola.

"A obesidade infantil em Londres é uma bomba relógio e estou decidido a agir", explicou.

"Por isso, proponho proibir os anúncios de fast-food prejudiciais em toda a nossa rede de metro e autocarros", acrescentou.

Segundo dados oficiais, quase 40% dos menores de Londres entre 10 e 11 anos têm excesso de peso ou são obesos, lê-se também no Twitter do autarca.

A Associação de Publicidade respondeu a Khan, lembrando-o de que o Reino Unido já proíbe anunciar este tipo de alimentação em meios com uma audiência infantil de mais de 25%.

"A experiência internacional e sondagens independentes mostraram que proibir a publicidade teria pouco impacto nas causas sociais mais amplas que tratam da obesidade", disse um porta-voz da associação à BBC.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.