De acordo com aquela fonte, além do autarca foi detido o proprietário da Escola profissional Amar Terra Verde (EPATV) fundada, em 2013 pelos municípios de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro.

A mesma fonte revelou que os dois detidos vão ser ouvidos pelo Ministério Público (MP) e pelo Juiz de Instrução no Tribunal de Braga, desconhecendo-se ainda se isso acontecerá durante o dia de hoje.

Em causa estará um caso de alegada prática dos crimes de corrupção e prevaricação no processo de alienação daquela escola, a uma empresa privada, da concessão de um parque estacionamento à superfície e da construção de um parque de estacionamento a uma empresa do setor da construção civil.

Os inspetores da polícia judiciaria chegaram à Câmara Municipal pelas 9h00 desta quarta-feira, tendo iniciado a recolha de elementos considerados relevantes para o caso.

Manuel Lopes, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, em declarações à SIC, disse está "uma investigação em curso" e que "o Presidente da Câmara estará naturalmente a prestar esclarecimentos". "Aguardamos [que as investigações] sejam conclusivas”, acrescentou.

O responsável disse ainda ter suspeitas de que as acusações partiram da oposição "que questiona constantemente certos processos da câmara".

"Tanto quanto sei [a alienação de 51% da escola] foi uma decisão unânime dos três municípios, que entenderam na altura ser a melhor solução" face à lei, "que do ponto de vista financeiro obrigava as empresas municipais a demonstrarem a sua viabilidade económica", disse Lopes, quando questionado sobre o negócio da Escola profissional Amar Terra Verde. "Foi uma decisão ajustada à realidade concreta que se vivia naquela altura [2013]", acrescentou.

(Notícia atualizada às 11h42)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.