No parlamento catalão, Quim Torra apelou a Pedro Sánchez que concorde em “”assumir riscos, dialogar e negociar”, deixando claro que a sua condição para falar não pode ser pedir ao movimento de independência que renuncie aos seus objetivos.

“Nós continuamos. A democracia nunca se rende, o desejo de liberdade não se renderá. Nós não viemos aqui para nos render, este não é o ponto de partida para a negociação”, afirmou

O presidente da Generalitat considerou ainda que a escolha de Josep Borrel para o cargo de ministro das relações Exteriores é “uma péssima notícia”.

Quim Torra salientou que apesar de não ser este o Governo que “legitimamente governou o país e deu voz aos cidadãos”, vai trabalhar para respeitar o resultado do referendo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.