Ortega, que há mais de seis meses enfrenta manifestações a exigirem a sua destituição, tinha anunciado a sua chegada à cimeira na quinta-feira, tendo posteriormente adiado para hoje.

Uma dezena de opositores concentraram-se, na quinta-feira, à entrada do setor de segurança para protestar contra a participação de Ortega na cimeira, que reúne 19 países da América Latina, Portugal, Espanha e Andorra.

Empunhando fotografias do que dizem ser vítimas da repressão do regime de Ortega, os manifestantes reclamavam a libertação de prisioneiros políticos na Nicarágua.

A repressão das manifestações na Nicarágua provocou mais de 130 mortos desde abril, a maioria de elementos da oposição.

Daniel Ortega foi substituído na liderança da delegação de Manágua por um conselheiro da Presidência, segundo informação da organização do evento.

Portugal está representado pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que discursa hoje na cimeira, evento que que tem na sua agenda as migrações e, como tema central, o desenvolvimento sustentável.

Marcelo Rebelo de Sousa está acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

A comunidade ibero-americana é composta por 22 países, dos quais três europeus, Portugal, Espanha e Andorra, e 19 latino-americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela, México, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Cuba e República Dominicana.

A primeira cimeira desta comunidade realizou-se em 1991, em Guadalajara, México. Os encontros repetiram-se, com periodicidade anual, até 2014. Desde então, passaram a ser de dois em dois anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.