Marcelo agradeceu aos coloridos mascarados do Entrudo Chocalheiro e a Podence, uma aldeia que, enfatizou, “vale muito mais do que [os seus] 200 habitantes, também ela vale uma história, uma tradição, uma cultura, é o retrato do que [Portugal tem] de melhor”.

O Presidente desafiou a multidão, que invadiu hoje a localidade do concelho de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, a refletir sobre “como é que uma aldeia que parece perdida e tão longe do mar, tão longe de muitos que estão a exercer o poder, tão longe da capital do país, tão longe da atividade económica e social, como é que essa aldeia conseguiu levar Portugal a todo o mundo”.

“Como é que conseguiu com os seus Caretos tornar Portugal mais conhecido em todo o mundo, respeitada em todo o mundo, admirada e seguida em todo o mundo”, continuou, para concluir: “Nós somos muito mais fortes do que se pensa, nós somos capazes do impossível”.

O Entrudo Chocalheiro marca a folia durante quatro dias, até terça-feira, nesta zona do Nordeste Transmontano, este ano animado pelo estatuto de Património Imaterial da Humanidade, atribuído em dezembro pela UNESCO, aos Caretos de Podence.

Naquela ocasião, o Presidente recebeu os Caretos e prometeu ir a Podence, promessa que cumpriu hoje com uma demorada caminhada pela aldeia com os tradicionais mascarados a abrirem o corredor entre a multidão para o presidente passar.

Não se sabe quantas pessoas estavam na aldeia, apenas que as redes de comunicação colapsaram.

“Quatro horas à espera, senhor Presidente”, desabafou Isabel Batalha, quando conseguiu alcançar Marcelo Rebelo de Sousa. Ela viajou de Mafra, numa excursão com 50 pessoas, para ver os Caretos.

O presidente da associação do Grupo dos Caretos de Podence, António Carneiro, deu as boas-vindas ao Presidente da República e realçou a simbiose do dia: “A tradição dos Caretos é uma tradição do povo, mas também o Presidente é o Presidente do povo”.

Podence deixou de ser definitivamente uma aldeia remota, perdida entre os montes, e o presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues, aproveitou para fazer um pedido ao Presidente da República.

O autarca pediu a Marcelo que interceda junto do Governo para que o Pavilhão de Portugal da próximo Expo do Dubai seja depois atribuído a Podence, para atrair mais turistas e criar riqueza.

No discurso num palanque no meio da aldeia, o Presidente da República agradeceu a Podence e aos Caretos “por aquilo que fizeram por Portugal”, e prometeu tentar fazer o que é possível para conseguir convencer o primeiro-ministro e o Governo a satisfazer o sonho de levar para a aldeia o pavilhão como símbolo de Portugal.

Marcelo despediu-se garantindo que, ainda que tivesse a agenda preenchida, arranjaria maneira de estar hoje em Podence para dizer: “Nós temos orgulho em vós”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.