Segundo a agência italiana Ansa, Mattarella começa a receber os partidos às 16:00 de hoje (15:00 em Lisboa) e as consultas estendem-se por dois dias.

Mattarella quer evitar prolongar a instabilidade política da terceira economia da zona euro.

Se nenhum acordo surgir, o Presidente deverá convocar eleições legislativas antecipadas, possivelmente para 10 de novembro.

As negociações parecem bem encaminhadas entre o Movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema), de Luigi di Maio, e o Partido Democrático (PD, centro-esquerda) de Nicola Zingaretti, para uma nova maioria, que substitua a aliança populista dos primeiros com a Liga (extrema-direita), de Matteo Salvini, que a 08 de agosto deu por finda a coligação.

Ambos os partidos concordam com a redução do número de parlamentares de quase 950 para 600, uma “bandeira” do 5 Estrelas, um programa económico com atenção aos mais desfavorecidos e uma política ambiental reforçada.

O principal obstáculo nas negociações era, na segunda-feira à tarde, o nome do futuro primeiro-ministro, com o M5S a querer reconduzir Giuseppe Conte e o PD a opor-se, por considerar que este facilitou alguns dos excessos políticos de Salvini, designadamente em matéria de política de imigração.

Zingaretti insiste que um novo governo tem de ser “de mudança”, que envolva “uma volta radical e uma descontinuidade” com o anterior.

Como na primeira ronda, o Presidente italiano começa com uma conversa telefónica com o seu antecessor no cargo, Giorgio Napolitano, recebendo em seguida os presidentes do Senado, Maria Elisabetta Casellati, e da Câmara dos Deputados, Robert Fico.

Os partidos são recebidos no palácio presidencial do Quirinal por ordem crescente do número de eleitos em ambas as câmaras, terminando na quarta-feira às 17:00 com o M5S.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.