“Não há dúvida de que somos mais fortes graças ao euro”, escreveu Christine Lagarde num artigo de opinião publicado em alguns jornais europeus, nomeadamente o Frankfurter Rundschau (Alemanha), o Corriere della Sera (Itália) e o La Provence (França), por ocasião das celebrações do 20.º aniversário da moeda comunitária, assinalado no sábado.

Há 20 anos, 12 Estados-membros, entre os quais Portugal, abdicaram das respetivas moedas para adotar o euro, considerado um símbolo da unidade europeia, apesar das diferenças entre as diversas economias.

Ao longo de duas décadas, o euro enfrentou graves crises e a própria sobrevivência da moeda chegou a ser colocada em causa, mas a líder do BCE mostrou-se convencida de que “os recentes choques económicos teriam sido ainda mais difíceis sem a estabilidade e integração que o euro deu” ao mercado único.

O euro tem “desempenhado um papel fundamental na coordenação da resposta na Europa” desde o aparecimento da pandemia, segundo Christine Lagarde, que lembrou o trabalho do BCE para assegurar as condições de financiamento da economia face à necessidade de apoiar vários setores que ficaram fortemente afetados com a covid-19.

A presidente do BCE afirmou também que a instituição está a trabalhar “incansavelmente” para “proteger as notas contra a contrafação” e que é seu dever “estudar possíveis formas complementares de pagamento, como o euro digital”.

Em julho, o BCE anunciou o lançamento de uma fase de trabalho com vista à introdução do euro digital no prazo de cinco anos, em resposta à crescente desmaterialização dos pagamentos e à proliferação de criptomoedas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.