O chefe de Estado publicou na terça-feira o decreto “pelo qual se declara luto nacional durante três dias, pela tragédia ocorrida na segunda-feira na Linha 12 do Sistema de Transporte Coletivo Metro” da Cidade do México.

Obrador já tinha prometido um “inquérito aprofundado”, com a ajuda de peritos internacionais independentes, ao acidente causado pelo desmoronamento de um viaduto.

“Vai decorrer um inquérito aprofundado (…) para procurar conhecer a verdade (…), a partir da qual será estabelecida a responsabilidade”, disse, na conferência de imprensa diária.

Quase 500 autocarros estão a assegurar o transporte dos utentes da linha 12 do metro da grande metrópole, com perto de dez milhões de habitantes.

Envolta em polémica desde a construção, a linha 12 do metro, onde ocorreu o acidente, foi concluída em 30 de outubro de 2012, quando o atual ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, Marcelo Ebrard, era presidente do município da capital.

No entanto, a linha foi encerrada em 2014 por falhas e reaberta entre outubro e novembro de 2015, em vários ramais.

Através de um vídeo das câmaras de vigilância do governo da Cidade do México, observa-se como a estrutura elevada com uma altura de 20 metros ruiu à passagem do metro, com diversas carruagens imobilizadas no solo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.