Assad alega também que os militares da Síria se desfizeram de todas as armas químicas, de acordo a Reuters, que refere um tweet da agência AFP, que cita as observações do presidente sírio na entrevista.

“E mesmo se tivéssemos tais armas, nós nunca as teríamos usado", afirmou.

O presidente afirmou ainda que o ataque químico a uma cidade dominada por forças rebeldes na Síria foi “totalmente fabricado” e serviu como um "pretexto" para justificar ataques norte-americanos contra o exército Sírio.

A 4 de abril, a cidade rebelde de Khan Sheikun, na província síria de Idlib, foi alvo de um suposto ataque químico no qual morreram 87 civis, entre eles dezenas de crianças. Os rebeldes e vários países ocidentais o atribuíram ao presidente sírio, Bashar al Assad, que negou qualquer envolvimento.

Em respostas, os Estados Unidos lançaram na madrugada de 7 de abril um ataque com mísseis contra uma base aérea do regime sírio.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.