A mesma fonte indicou à agência Lusa que o tribunal decidiu aplicar a prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, ao rapaz de 17 anos, sobrinho das vítimas mortais, que foi hoje detido juntamente com outros dois suspeitos, também menores.

Segundo a fonte da GNR, os outros suspeitos, um rapaz também de 17 anos e uma rapariga de 16, ficaram ambos "ilibados" do crime, tendo saído em liberdade.

De acordo com fonte da Polícia Judiciária (PJ), agora responsável pela investigação do duplo homicídio, o jovem confessou o crime quando confrontado com a prova produzida e vestígios encontrados.

A mesma fonte disse ainda que foi possível apreender a roupa e as armas utilizadas durante o crime.

Os dois detidos que saíram em liberdade não chegaram a ser presentes ao juiz de instrução criminal, acrescentou.

Uma neta do casal tentou desde a tarde de sexta-feira contactar com os avós, com idades entre os 70 e os 80 anos, sem conseguir, estranhou a situação e cerca das 00:30 de hoje foi ao posto da GNR de Vila Nova de Santo André solicitar para se deslocarem à habitação, adiantou a mesma fonte.

De acordo com a GNR, quando a patrulha da guarda entrou na habitação encontrou o casal no chão, "ambos já cadáveres", com sinais de violência provocada por um objeto cortante.

Posteriormente, foram detidos três menores suspeitos, sendo que um deles é sobrinho das vítimas mortais, adiantou a mesma fonte.

"Um dos detidos tinha vestígios de sangue na roupa", acrescentou.

Segundo a GNR, a investigação do duplo homicídio passou para a alçada da Polícia Judiciária.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.