Em comunicado enviado à Lusa, a autarquia refere que atualmente são 44 as lojas abrangidas por aquele programa e que "está a decorrer também a segunda fase de classificação das "Lojas com História", cuja candidatura deve ser feita junto dos serviços da autarquia.

Para conseguir a classificação de "Loja com História", explica a autarquia, é preciso a "verificação cumulativa de determinados tipos de fatores", desde a longevidade da atividade, que deve ter "pelo menos" 25 anos.

"A par da atividade (e a ela intrinsecamente ligados) também o património material e o património imaterial do estabelecimento ou da atividade devem apresentar determinadas características reveladoras do seu significado histórico e cultural ou social local", refere a autarquia.

Para o vereador do urbanismo da Câmara de Braga, Miguel Bandeira, "a iniciativa é determinante para a aplicação dos benefícios previstos à data e outros que possam ser aprovados. Ao mesmo tempo é um estímulo para a manutenção da atividade que é hoje reconhecidamente um fator fundamental para a coesão e atratividade das cidades".

O reconhecimento daquele tipo de estabelecimentos leva ainda à "inclusão das lojas classificadas no portal do Inventário Nacional Comércio com História que irá promover através da relação com a plataforma do Turismo de Portugal: Visit Portugal a divulgação das lojas reconhecidas em Braga".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.