Segundo Ana Mendes Godinho, o seu Ministério está a preparar o lançamento de “um novo aviso específico, dedicado ao alargamento das creches”, para que as crianças “tenham igualdade de oportunidades”, independentemente do “meio e em que condições económicas nasçam”.

“Vamos lançar um aviso, no âmbito do PRR, só dedicado ao alargamento da rede de creches, focado essencialmente em projetos que sejam projetos de reconversão de espaços existentes. Em vez de estarmos a multiplicar nova construção, neste momento, o nosso foco e objetivo é reconverter espaços que existem, por exemplo pré-escolar que não está a ser usado [e] outros espaços que não estejam a ser usados, para reconversão rápida em creche”, referiu.

A ministra acrescentou que também vai ser lançado um novo aviso PRR para novas respostas para o envelhecimento e outro para o “Apoio Domiciliário 4.0”.

O “Apoio Domiciliário 4.0” pretende aproveitar “o mundo tecnológico” para “qualificar cada vez mais o apoio domiciliário também com recursos digitais e tecnológicos, procurando responder melhor às pessoas”.

“E vamos também lançar um aviso dedicado ao Radar Social. O Radar Social será um programa para criação de equipas de acompanhamento e combate ao isolamento das pessoas que estão em situação mais vulnerável, sejam pessoas idosas, sejam pessoas com deficiência”, disse.

Neste âmbito, será criada uma equipa por cada um dos concelhos “para sinalização de pessoas que estão em situação de isolamento e integração e acompanhamento na rede”.

Ana Mendes Godinho referiu que os desafios para o setor social “são muitíssimos” e defendeu a necessidade de partilhar informação e conhecimento e estar a par das novas soluções que se estão a desenvolver no mundo, lembrando que a Guarda foi escolhida para a instalação do Centro de Inovação para a Economia Social, no qual deposita “muita esperança e expectativa”.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, falava na Guarda, na sessão de assinatura de contratos PARES 3.0, realizada no auditório dos Serviços Centrais do Instituto Politécnico local.

O programa tem, a nível nacional, 371 candidaturas aprovadas e abrange 658 respostas sociais, com um investimento total de 393 milhões de euros.

No distrito da Guarda, o PARES 3.0 apoia 24 candidaturas (investimento total de 23,5 milhões de euros) para 40 respostas sociais.

O diretor distrital da Segurança Social, Carlos Martins, disse na sessão que se trata do “maior investimento das últimas décadas” que é realizado no distrito ao nível da requalificação e alargamento da rede de respostas sociais.

Ana Mendes Godinho também se deslocará hoje a Castelo Branco e a Portalegre, onde assinará contratos idênticos no valor de 19,6 milhões de euros e 14 candidaturas (Castelo Branco) e de 5,3 milhões de euros e oito candidaturas (Portalegre).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.