“Há muitos anos que defendo isso, não é agora. Eu já defendi isso seguramente há mais de cinco anos, ainda era líder parlamentar do PSD”, salientou, em Bragança, à entrada de uma sessão para a apresentação da candidatura aos militantes deste distrito.

Questionado pela Lusa sobre o tema, na sequência do anúncio feito hoje pelo Chega de que vai apresentar de uma proposta de referendo, Montenegro respondeu que ainda era líder parlamentar quando deu “início a esse debate dentro do PSD, chamando pessoas que concordavam e outras que discordavam com as alterações legais”.

O candidato à liderança do partido lembrou que ainda teve “a ocasião de ter nesse debate e nessa reflexão o ex-deputado do Bloco de Esquerda, entretanto já falecido, João Semedo”.

A Assembleia da República vai debater, a 09 de junho, novos projetos de lei sobre a morte medicamente assistida, na sequência de um agendamento potestativo do PS.

Para Montenegro, este “é um tema que merece um debate profundo na sociedade portuguesa, um debate aberto, um debate que não se pode esgotar apenas nos partidos e no parlamento”

“Estou muito à vontade para poder dizer aquilo que já dizia há meia dúzia de anos: é de facto um tema que eu gostava que pudesse ser discutido com esta abertura e que a palavra final fosse dada ao povo português, depois de estar conscientemente esclarecido”, reiterou.

Se não houver referendo, Luís Montenegro crê que “aquilo que irá acontecer, como é boa tradição no PSD, sobre a matéria substantiva propriamente dita, é que haja liberdade de voto”.

“É tradição do PSD em matéria desta natureza, em matérias que são de consciência, aconteceria isso em qualquer discussão e estou convencido de que é isso que vai acontecer também”, considerou.

Sobre a polémica em torno da não realização de debates com o adversário Jorge Moreira da Silva, Montenegro disse que “esse assunto já não existe”.

O candidato acredita que vai ganhar no distrito de Bragança, como aconteceu nas últimas eleições do partido, e agora com o apoio de Jorge Fidalgo, presidente da distrital do PSD, que tinha estado com Rui Rio, anteriormente.

Montenegro tem como mandatário distrital Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança, onde o PSD é poder há 24 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.