“A um mês da realização das eleições diretas, Pedro Santana Lopes propõe que se realizem três debates nos três canais, por forma a não excluir nenhuma das televisões generalistas. O primeiro poderia realizar-se já na próxima semana, o segundo na semana seguinte - entre o Natal e o Ano Novo - e o último na primeira semana de janeiro”, refere um comunicado da candidatura, que decidiu tornar pública a sua posição “face à dificuldade em chegar a um acordo entre as duas candidaturas quanto à realização de debates”.

De acordo com o comunicado, a realização de três debates televisivos seguiria “o mesmo modelo que já foi adotado em anteriores eleições diretas no PPD/PSD e eleições primárias no PS”.

“Sublinhamos que Pedro Santana Lopes sempre esteve disponível para realizar debates e aquando da apresentação da sua candidatura, no dia 22 de outubro, Pedro Santana Lopes defendeu que – além dos debates que se viessem a realizar nos órgãos de comunicação social - as distritais que assim o entendessem pudessem organizar debates entre os dois candidatos junto dos militantes do PPD/PSD”, afirmou.

Depois desta proposta inicial, que no limite geraria mais de 20 debates, e que foi recusada por Rui Rio, e na sequência de uma carta de Pedro Santana Lopes ao antigo autarca do Porto, as duas candidaturas têm estado nas últimas semanas em conversações sobre a realização de debates.

O PSD escolherá o seu próximo presidente em 13 de janeiro em eleições diretas, com Congresso em Lisboa entre 16 e 18 de fevereiro.

Até agora, anunciaram-se como candidatos à liderança do PSD o antigo presidente da Câmara do Porto Rui Rio e o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.