Há uns dias as orcas foram tema em Portugal, depois de um veleiro ter sido rebocado pela Polícia Marítima de Sines após uma interação com a embarcação ter danificado o leme. Agora, são o foco de um outro problema, mas ao largo da costa sul-africana: o desaparecimento de tubarões brancos.

O tubarão branco, presente na África do Sul e essencial ao ecoturismo, tem vindo a desaparecer nos últimos anos em alguns lugares da costa leste do país, sem que sejam exatamente conhecidas as causas. Alguns culpavam as capturas ou o uso das chamadas “redes de deriva” - estruturas de rede com forma retangular que são lançadas e, que podem atuar isoladas ou em conjunto de várias peças, às quais os animais ficam presos.

No entanto, o resultado das análises de uma equipa de nove especialistas, escolhida pelo governo sul-africano com o objetivo de proteger várias espécies de tubarões ameaçadas ou em risco de extinção, apontaram noutra direção.

"Há um nexo de causalidade entre a aparição dos grupos de orcas e o desaparecimento dos tubarões brancos", refere o relatório. Assim, concluíram que, provavelmente, se trata de uma mudança na distribuição da população de tubarões brancos para fugir a estes predadores, devido ao avistamento de orcas.

Segundo a ministra do Ambiente, Barbara Creecy, durante a apresentação do relatório, na África do Sul 14% das espécies de tubarões estão ameaçadas.

O tubarão branco, considerado o grande predador dos oceanos, está, por isso, em fuga. Já em 2017, de acordo com a National Geographic, cinco tubarões tinham sido encontrados mortos ao largo da província do Cabo Ocidental, na Africa do Sul, vítimas de um ataque de duas orcas. Esta relação na cadeia alimentar só começou a ser considerada depois de, em 1997, um grupo de cientistas ter assistido, pela primeira e única vez, a um ataque de duas orcas a um tubarão branco, nas lhas Farallon, perto de São Francisco, nos Estados Unidos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.