Última atualização às 14h57


Em Itália, toda a região da Lombardia, inclusive Milão, parte da região do Vêneto, onde fica Veneza, o norte da região da Emilia Romagna (Parma e Rimini) e o leste de Piemonte são abrangidas pela medida de quarentena anunciada este sábado pelo primeiro-ministro italiano. Os movimentos de entrada e saída destas áreas serão estritamente limitados durante a quarentena, que se estenderá até 3 de abril.

Paralelamente, o Governo ordenou que fossem encerrados os museus, teatros e cinemas em todo o território para combater a propagação do novo coronavírus, de acordo com um despacho divulgado esta madrugada. A medida estará em vigor até pelo menos 3 de abril. Giuseppe Conte apareceu às 02:30 horas diante dos jornalistas para explicar que o decreto é difícil, mas necessário para "conter a propagação do contágio".

No Vaticano, o Papa Francisco rezou pela primeira vez a tradicional oração dominical através de vídeo conferência, mas disse estar "perto" dos infetados com o novo coronavírus e dos seus cuidadores. O pontífice reconheceu ser “um pouco estranha” a oração feita a partir de “uma gaiola da sua biblioteca” privada, em vez da tradicional missa celebrada da varanda do Palácio Apostólico.

Também Macau anunciou que vai impor uma quarentena de 14 dias, a partir de terça-feira, para quem "tenha estado na Alemanha, na Espanha, na França ou no Japão nos 14 dias anteriores à entrada" no território, foi hoje anunciado.

Até lá e a partir das 12:00 de hoje (04:00 em Lisboa), as autoridades vão realizar um exame médico a quem entre no território proveniente daqueles quatro países, devido ao surto do novo coronavírus, indicou um anúncio publicado na página eletrónica dos Serviços de Saúde.

A propagação do vírus foi classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como "profundamente preocupante". No total, 95 países estão afetados pela Covid-19, que deixou pelo menos 3.556 mortos e quase 105.000 casos em todo planeta.

Depois da China, onde apareceu em dezembro e onde os contágios totalizam os 80.700 e os mortos somam 3.097, a Itália é um dos países mais afetados, com 5.883 casos e 233 óbitos.

O governo italiano reforçará os hospitais com 20 mil pessoas, entre médicos e enfermeiros.

Neste sábado, as autoridades chinesas reportaram 27 novas mortes pelo coronavírus, elevando o total  em todo o país para 3.097, com 44 novos casos, a maioria em Wuhan, província de Hubei, epicentro da epidemia.

A Coreia do Sul soma quase sete mil contágios, mas tem mortalidade mais baixa (44). O Irão regista 5.823 casos e 145 mortos. Em França também aumentou para 16 o número de mortos e para 949 o de contágios.

A América Latina e central somam 51 infetados. O Paraguai anunciou neste sábado o primeiro caso e a Colômbia e a Costa Rica reportaram na sexta-feira o primeiro contágio. A Argentina anunciou a primeira morte no subcontinente: um homem de 64 anos que tinha estado na Europa em fevereiro. As autoridades do país anunciaram a concessão de licença de trabalho excepcional a quem voltar do exterior.

Também este sábado, um total de 43 pessoas foram resgatadas dos escombros após o desabamento de um hotel na cidade de Quanzhou, no sudeste da China, usado para abrigar pessoas em quarentena, segundo a imprensa. Funcionários disseram que 70 pessoas ficaram presas.

Um infetado em encontro onde esteve Trump e Pence, mas sem contacto direto

Nos Estados Unidos, com mais de 200 casos (19 fatais), foi declarada situação de emergência no estado de Nova Iorque, que acumula 76 casos, de forma a acelerar as medidas de contenção do vírus.

Um total de 21 pessoas a bordo do cruzeiro "Grand Princess", fundeado na costa de San Francisco, tiveram resultado positivo nos exames de deteção de Covid-19. Estão infetados 19 membros da tripulação e dois passageiros, sendo que há 3.533 pessoas a bordo.

O capitão do navio não disse nada sobre quando ou onde o navio vai atracar.

O "Grand Princess" pertence à mesma companhia que operava o navio afetado pelo coronavírus no Japão no mês passado, no qual mais de 700 pessoas a bordo tiveram resultados positivos de contágio.

Além disso, duas pessoas morreram pelo coronavírus na Flórida, as primeiras vítimas americanas fora da Costa Oeste, anunciaram as autoridades deste estado do sudeste dos EUA.

Outra pessoa que esteve na reunião anual dos conservadores (CPAC), realizada entre 26 e 29 de fevereiro perto de Washington, foi diagnosticada com coronavírus num hospital de Nova Jersey. O presidente Donald Trump e o vice-presidente, Mike Pence, estiveram no mesmo encontro, mas a pessoa infetada não participou nas reuniões que decorreram no salão principal, onde as autoridades estiveram.

Também cresce a preocupação com o impacto económico da epidemia no mundo, em especial na China, cuja atividade continua em grande parte paralisada. Nos dois primeiros meses do ano, as exportações chinesas caíram 17,2%.

Procurando tranquilizar os mercados, o presidente americano, Donald Trump afirmou na sexta-feira que as bolsas - que caíram nas duas últimas semanas - vão recuperar e exortou a FED (banco central americano) a reduzir as taxas de juros para incentivar a economia.

Das maratonas canceladas à hipótese de jogos à porta fechada na NBA

A preocupação global com a epidemia reflete-se também na quantidade de eventos desportivos, culturais e profissionais cancelados.

Prevista para 15 de março e com 17 mil corredores inscritos, a Maratona de Barcelona foi adiada para 25 de outubro. Ontem, a Federação Mundial de Atletismo, a World Athletics, anunciou que os Mundiais de meia maratona, programados para 29 de março em Gdynia, na Polónia, serão realizados em 17 de outubro.

A World Athletics já tinha adiado o Mundial de pista coberta; inicialmente previsto para acontecer de 13 a 15 de março em Nanquim, na China, agora será em 2021.

Neste sábado, foi cancelado o Mundial feminino de hóquei sobre o gelo, que deveria ser disputado de 31 de março a 10 de abril no Canadá.

Nos Estados Unidos, a NBA pediu às equipas que preparem estratégias de contingência, caso seja necessário disputar partidas sem público, informou ontem a emissora ESPN. LeBron James, um dos rostos da modalidade, já veio a publico dar conta de que não jogará num pavilhão vazio. "É para eles que jogo", justificou. Adicionalmente, a NBA deu indicações para que os jogadores não se cumprimentassem com "High Fives".

Não foi adiado, mas não haverá público. O Grande Prémio do Bahrein, a segunda prova do campeonato mundial de Fórmula 1, a realizar durante o fim de semana de 20 a 22 de março, será à porta fechada. De acordo com uma mensagem da organização, tal sucede porque esta considera que ter espetadores no recinto "não seria o mais indicado, dado o contexto" de surto que se verifica um pouco por todo o mundo.

Já na Arábia Saudita, o reino decidiu reabrir a esplanada que cerca a Kaaba, o lugar mais santo do Islão, situado no coração da Grande Mesquita de Meca. A pequena peregrinação (Umra) continua, no entanto, suspensa.

A conferência anual das indústrias do cinema, tecnologia e música South by Southwest (SXSW), em Austin, nos Estados Unidos foi cancelada na sexta-feira. Em comunicado, as autoridades da cidade de Austin, que acolhe a conferência, anunciou o cancelamento das datas de março do SXSW e  do SXSW EDU devido à preocupação com a propagação do vírus responsável pela doença Covid-19.Antes do cancelamento, vários grandes compradores de conteúdo audiovisual, como Netflix, Amazon e Apple, tinham anunciado a ausência do festival no Texas, que é um importante mercado de filmes.

Em 13 países, 300 milhões de alunos não irão às aulas durante várias semanas, já que os seus estabelecimentos de ensino encontram-se encerrados.

Vários países proibiram a entrada ou adotaram quarentenas para os viajantes procedentes dos países mais afetados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.