O medicamento demonstrou ser “seguro e eficaz na redução do risco de hospitalização e morte em pessoas com infeção leve a moderada por covid-19 e com um risco aumentado de desenvolver uma forma grave da doença”, refere o regulador britânico em comunicado.

Desenvolvido em parceria com o laboratório californiano Vir Biotechnology, o tratamento à base de anticorpos monoclonais de longa ação permite, graças a uma única dose, reduzir em 79% o risco de hospitalização e morte em adultos com alto risco de apresentar sintomas, explica.

A GSK, por sua vez, garantiu que o seu tratamento experimental permanece ativo “contra as principais mutações da nova variante Ómicron”, de acordo com dados pré-clínicos.

“Até o momento, o sotrovimab mostrou que permanece ativo contra todas as variantes de preocupação e de interesse definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”, afirmou.

O medicamento foi classificado no final de junho pela Comissão Europeia como um dos cinco tratamentos mais promissores para covid-19.

O sotrovimab é o segundo tratamento contra o coronavírus aprovado em um mês pelo Reino Unido, depois do molnupiravir, o comprimido anti-covid do laboratório americano Merck, autorizado no início de novembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.