"Brexit significa Brexit e nós vamos fazer com que seja um sucesso", garantiu Theresa May, citada pela AFP, em resposta aos que pedem que ignore o resultado do referendo de 23 de Junho, cujo resultado é favorável à saída do Reino Unido da União Europeia.

Contrariamente a Leadsom, a responsável fez campanha a favor da permanência do país no clube dos 28, mas compromete-se agora a respeitar a escolha dos britânicos. "Não haverá tentativas de permanecer na União Europeia, não haverá tentativas de reintegrar-se pela porta dos fundos”, acrescentou, citada pela agência.

Com a desistência de Andrea Leadsom, May prepara-se para substituir David Cameron na liderança não só do partido mas do país. Escreve a Bloomberg que “não há regras formais para a sucessão dos líderes de governo britânicos, mas Cameron terá de visitar a Rainha Isabel II para resignar ao cargo, convidando depois May, como líder do partido e com uma maioria na Casa dos Comuns, a formar governo”.

A agência dá como exemplo o caso de Gordon Brown, que sucedeu a Tony Blair em 2007. Brown tornou-se líder  do Partido Trabalhista num domingo e Blair resignou ao cargo de primeiro-ministro na quarta-feira seguinte. 

A May, de 59 anos, que ocupou o cargo de ministra do Interior durante seis anos, pode tornar-se a segunda mulher a assumir o cargo de primeira-ministra do Reino Unido, após a incontornável Margaret Thatcher.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.