O histórico dirigente do Partido Comunista morreu hoje, informou fonte do PCP. De acordo com o líder comunista, a morte de Ruben de Carvalho deveu-se a “problemas de saúde”, tendo o dirigente necessitado de “tratamento hospitalar”.

Ruben de Carvalho era responsável na Câmara Municipal de Lisboa pelo Roteiro do Antifascismo, membro do Comité Central do PCP e fazia parte da organização da Festa do Avante! desde o seu início, em 1976. Jornalista de profissão, Ruben de Carvalho foi também chefe de redação do semanário “Avante!”, órgão central do PCP, entre abril de 1974 e 1995, chefe de redação da revista “Vida Mundial” e redator coordenador do jornal “O Século”.

Numa declaração aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa, o líder do PCP salientou que Ruben de Carvalho, “com um grande significado, era um homem de combate e de confronto de ideias”.

Na opinião de Jerónimo de Sousa, mesmo aqueles que tinham “divergências profundas, sempre tiveram grande respeito pela intervenção do Ruben neste diálogo com quem discordava, mas simultaneamente respeitava”.

“Ruben de Carvalho abraçou, durante toda a sua vida, a luta pelo projeto do partido que o animava, que o acompanhou durante toda a sua vida, e é neste quadro que podemos dizer que era um homem de projeto, um homem que lutou pela liberdade, pela democracia, que tinha o seu projeto de luta pelo fim da exploração do homem pelo homem, na luta pelo socialismo e pelo comunismo”, destacou.

O secretário-geral comunista aproveitou também para, de forma pública, apresentar “profundas condolências” em nome do Secretariado do Comité Central do PCP, “à sua companheira de sempre”.

Sobre o percurso de Ruben de Carvalho, Jerónimo de Sousa apontou “um intelectual comunista, um homem que assumiu diversas tarefas, cargos e responsabilidades”, evocando “todo um percurso de uma vida de luta, de participação e intervenção, tanto na luta antifascista como no movimento associativo estudantil, que levou a prisões sucessivas, sendo a última, aliás, a 07 de abril de 1974”.

"Um homem que, com toda a responsabilidade, membro do Comité Central, deu uma contribuição importantíssima, designadamente na Festa do Avante!, na parte dos programas musicais, um homem do jornalismo, da rádio, da imprensa, que particularmente em relação à música, desde a música popular à erudita, tem obra realizada, deu uma contribuição importante para a nossa cultura", assinalou.

Ruben de Carvalho foi membro das “comissões juvenis de apoio” à candidatura do General Humberto Delgado, chefe de gabinete do ministro Sem Pasta, Francisco Pereira de Moura, no I Governo Provisório após o 25 de Abril de 1974, deputado à Assembleia da República eleito pelo distrito de Setúbal e vereador na Câmara Municipal de Lisboa.

Tinha 74 anos e era o único membro no atual Comité Central do PCP que tinha estado preso nas cadeias da PIDE durante o Estado Novo.

Ruben de Carvalho manteve, na RDP1, o programa “Radicais Livres”, onde debatia temas de atualidade com Jaime Nogueira Pinto.

(Notícia atualizada às 13:02)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.