Vladimir Medinsky disse a uma televisão russa que o estabelecimento de corredores humanitários será discutido de novo no encontro que estava previsto para começar na Bielorrússia pelas 17:00 locais (14:00 em Lisboa).

“Os nacionalistas que tomaram posições nas cidades continuam a manter lá civis e a utilizá-los direta e indiretamente, inclusive como escudos humanos, o que é obviamente um crime de guerra”, disse Medinsky na televisão estatal russa.

A criação de corredores humanitários foi discutida na segunda ronda de negociações, realizada na quinta-feira, 03 de março.

A medida destinava-se a retirar civis de zonas de combates e a entregar alimentos e medicamentos, mas não foi aplicada com sucesso, com ambas as partes a responsabilizarem o lado contrário.

A primeira ronda de negociações realizou-se em 28 de fevereiro, também na Bielorrússia, quatro dias depois do início da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.