O anúncio de declarar os diplomatas “persona non grata” foi feito pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, depois de ter convocado o embaixador checo em Moscovo, Vitezslav Pivonka.

Moscovo já tinha prometido retaliar após a República Checa ter expulsado 18 diplomatas russos, acusados de espionagem.

No sábado, a República Checa anunciou que ia expulsar 18 diplomatas russos acusados de serem espiões militares e de terem estado envolvidos, em 2014, na explosão de um depósito de munições.

O primeiro-ministro checo, Andrej Babis, disse ter “evidências claras” sobre “o envolvimento de agentes militares russos numa explosão massiva que matou duas pessoas”.

Em causa está uma explosão que ocorreu em 16 de outubro de 2014 num depósito na cidade de Vrbetice, cidade checa localizada a cerca de 320 quilómetros de Praga, onde se encontravam 50 toneladas de munições armazenadas.

Do incidente resultaram duas vítimas mortais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.