"Vender 'decorações de Natal' com imagens de Auschwitz não parece apropriado. Auschwitz num saca-caricas é algo bastante perturbador e desrespeitador", expressou o museu na sua conta oficial do Twitter, publicando imagens de artigos decorados com fotos dos percursos e das casas dentro do campo.

O museu pediu à Amazon que retirasse esses objetos do seu catálogo.

Mais tarde, o museu publicou uma outra mensagem afirmando que a Amazon já teria retirado os produtos criticados, embora tenha acabado por perceber que ainda se encontram à venda alguns objetos controversos.

Entre eles, está a um tapete de rato para computador e a uma decoração de natal em cerâmica onde aparece um vagão representando as carruagens utilizadas para transportar os judeus para os campos.

O campo de concentração de Auschwitz foi criado pela Alemanha depois de o país ocupar a Polónia no início da Segunda Guerra Mundial. Auschwitz, onde mais de um milhão de judeus de toda a Europa e centenas de milhares de não-judeus foram mortos, tornou-se um símbolo do Holocausto.

Cerca de 232.000 crianças estão entre as vítimas, segundo as estimativas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.