“Trata-se de uma visita de estudo, organizada pela AMAL [Comunidade Intermunicipal do Algarve], para que os decisores políticos tenham conhecimento, estejam cientes e descubram novas soluções para tratar ou produzir água” revelou à Lusa António Miguel Pina, presidente daquele organismo.

Em declarações à Lusa, à margem de uma conferência sobre alterações climáticas que hoje decorreu em Loulé, o também presidente da Câmara de Olhão reforçou que a viagem pretende que os autarcas vejam ‘in loco’ soluções “que podem vir a ser aplicadas no Algarve”.

No primeiro dia, os autarcas irão visitar um centro tecnológico em Dénia e uma estação de dessalinização, em La Marina Baja, ambas na província de Alicante, na região autónoma de Valência.

O segundo dia está reservado para a visita a duas Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR): uma em La Gavia (Madrid) e outra em Ávila, localidade da comunidade autónoma de Castela e Leão.

António Miguel Pina revelou que a última instalação é caracterizada como estando no topo do “desenvolvimento tecnológico do tratamento e reaproveitamento de água” tendo capacidade de tratar a água com “uma qualidade final” passível, até, de ser usada para consumo humano.

O presidente da AMAL lembrou que “há algum tempo” havia dificuldade em aceitar o tema da dessalinização de agua do mar e embora admita que ainda haja, “em alguns setores”, até por questões ambientais, considera que existe “cada vez menos”.

Defendeu, por isso, a importância de os decisores políticos não ficarem “apenas presos” às opiniões e pareceres técnicos e conheçam “com os seus olhos” as soluções que existem noutros países, ainda mais “quando estão aqui mesmo ao lado”, em Espanha.

Com a experiência acumulada na dessalinização da água do mar, o autarca acredita que será possível conhecer as “mais valias e os problemas” desta solução, bem como formas de os resolver, nomeadamente, o destino dos resíduos salobros.

António Miguel Pina destacou os cuidados que as autoridades ambientais espanholas tiveram com os produtos resultantes do processo de dessalinização, que tem sido alvo de preocupações ambientais e que ainda leva alguns “a temerem” esta solução.

“Certamente que no acompanhamento dessa atividade, esse problema já se colocou e já se encontrou solução”, sublinhou.

A Águas do Algarve, empresa responsável pelo fornecimento da água aos municípios e tratamento de águas residuais, foi convidada para a visita, contudo, impedimentos de agenda não permitiram que “estivessem disponíveis”, acrescentou.

Esta viagem tem também um peso político, já que, “não havendo regionalização”, os autarcas são a “força política que defende os interesses” da região e, se houver união no seio da AMAL, “terão ainda mais força”, defendeu.

No entanto, sublinhou que é necessário ter uma noção dos investimentos “que serão exigidos”, já que têm de ser feitos com a consciência “do que é razoável”.

Para isso, “é importante conhecer de forma direta” as soluções para complementar a informação obtida por estudos técnicos já realizados sobre a matéria, nomeadamente, o Plano intermunicipal para as Alterações Climáticas.

Nesta visita a Espanha participam os presidentes das Câmaras municipais de Olhão, Loulé, Faro, Albufeira, Vila Real de Santo António, Lagoa, Alcoutim, Castro Marim e Monchique.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.