Segundo o ministro, as medidas de apoio têm vindo a ser alargadas “em função da informação” que é recebida sobre a seca.

“Logo que se verifique que há explorações sem acesso de água para o gado, a medida será imediatamente alargada, no limite a todo o território”, frisou.

Capoulas Santos considerou o setor do leite como estratégico para o país e disse tratar-se de uma fileira que “o Governo sempre acarinhou e continuará a acarinhar”.

O ministro respondia assim ao presidente da Agros - União das Cooperativas dos Produtores de Leite, que manifestou hoje, na abertura da AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, preocupação com a seca no país e apelou ao alargamento dos apoios às regiões do Douro, Minho e Trás-os-Montes.

“Os prejuízos estão ainda por apurar e neste momento já tem impacto nas produções agropecuárias”, disse José Capela.

O responsável sublinhou que uma vaca, “em dias quentes, bebe até 100 litros de água”.

O primeiro-ministro destacou hoje durante a abertura de uma feira agrícola na Póvoa de Varzim a existência de um programa do Ministério da Agricultura que pretende criar mais de 90 mil hectares de área de regadio.

“O regadio é essencial para melhorar os solos”, disse António Costa na sessão de abertura da 5.ª edição da AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, a decorrer na Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

“Não podemos fazer Alquevas em cada terra”, disse, “mas mais regadio para produzir mais, melhor e continuar a contribuir” para o crescimento da economia do país.

No seu discurso, Costa enalteceu o trabalho desenvolvido no setor do leite, mas frisou que “a agricultura é muito mais diversa do setor leiteiro e a riqueza da agricultura assenta nessa diversidade”.

O chefe do Governo referiu que o Governo tem como objetivo “atingir o equilíbrio da balança comercial em valor no setor agroalimentar até 2021”.

Para que se possa atingir o equilíbrio entre o que se consome e o que se produz exige-se o “esforço de toda a fileira”, pediu, considerando ser um caminho a percorrer a médio prazo.

O programa do Ministério da Agricultura foi “estrategicamente lançado” através do Banco Europeu de Investimento para criar os milhares de hectares de regadio, disse António Costa.

Nesta visita à AgroSemana, que decorre até domingo, o primeiro-ministro visitou toda a feira, que conta com dezenas de expositores. A feira agrícola conta ainda hoje com a visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.