Numa informação divulgada no seu sítio de Internet, a ULSBA refere que há oito casos de infeção confirmados entre profissionais de saúde dos serviços de Medicina, Urgência Geral e Endoscopia do hospital de Beja.

Trata-se de seis enfermeiros e dois assistentes operacionais, que "foram colocados, de imediato, em isolamento no domicílio", precisa a ULSBA, referindo que a avaliação feita pela sua Unidade de Saúde Pública "determinou a colocação em vigilância ativa de 42 profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, assistentes operacionais)".

Entretanto, fonte da ULSBA disse à agência Lusa que, além daqueles oito profissionais de saúde, foram infetados cinco doentes.

A mesma fonte explicou à Lusa que o surto teve origem numa doente inicialmente internada numa enfermeira de um piso do hospital fora da área dedicada à covid-19, que fez um teste de despiste à presença do vírus que provoca a doença covid-19, que deu resultado negativo.

Já internada, a doente começou a ter sintomas compatíveis com a doença covid-19 e fez um segundo teste, que deu resultado positivo, explicou a fonte, referindo que, após a confirmação da infeção, foram feitos testes a outros doentes e a profissionais de saúde.

Segundo a fonte, a realização destes testes permitiu detetar mais 13 casos de infeção, nomeadamente nos oito profissionais de saúde dos serviços de Medicina, Urgência Geral e Endoscopia e em cinco doentes.

No total, o surto já infetou 14 pessoas, mas, na informação divulgada no seu sítio de Internet, a ULSBA só referiu os oito casos de infeção dos oito profissionais de saúde e explicou que a situação está relacionada "com um primeiro caso de uma utente internada" e que "deu origem a mais cinco casos", ou seja, os restantes doentes.

Segundo a ULSBA, devido ao número de profissionais ausentes por estarem infetados ou em vigilância ativa, os serviços de Medicina, Urgência Geral e Endoscopia do hospital de Beja adaptaram os respetivos modos de funcionamento, "não se tendo procedido ao encerramento de qualquer serviço ou camas de internamento".

No entanto, a Unidade de Endoscopia Digestiva vai fechar na sexta-feira para uma ação de desinfeção.

O processo de monitorização diária da situação envolve a Unidade de Saúde Pública, o Serviço de Saúde Ocupacional e o Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos da ULSBA.

Para garantir a segurança de todos e a manutenção da confiança institucional e cumprindo as orientações da Direção-Geral da Saúde, a ULSBA reforça "a importância do distanciamento físico, da higienização das mãos e do uso de máscara de proteção".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.