De acordo com as notícias avançadas pela agência Reuters, que cita as autoridades chilenas, não há registo de vítimas, danos materiais ou a interrupção dos serviços básicos, com exceção de um corte de comunicações, devido à saturação das linhas telefónicas.

O sismo de magnitude de 7,7 na escala de Richter teve epicentro a 225 quilómetros de Puerto Montt, no sudoeste do Chile, a uma profundidade de 15 quilómetros, avançou o Serviço Geológico dos EUA.

Quéllon localiza-se na Ilha Grande do arquipélago de Chiloé, no sul do país, e o terramoto foi registado às 11:22 horas locais (14:22 em Lisboa).

O Centro de Alerta para Tsunamis do Pacífico emitiu um alerta de tsunami, já levantado, para as localidades que se encontrassem num raio de 1.000 quilómetros do epicentro. O centro de emergência do Chile ordenou ainda a evacuação das áreas costeiras da região de Los Lagos e das praias de Biobio, La Araucanía, Los Ríos e Aysén.

No Twitter, a Presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse que os protocolos de emergência já estavam a funcionar e partilhou uma mensagem de força e ânimo para todos os afetados pelo abalo.

O Chile é um dos países com maior atividade sísmica do mundo e tem uma vasta história de terramotos mortais. Em setembro do ano passado, um sismo de magnitude 8.4 na escala Richter, seguido de um tsunami, abalou a região de Coquimbo e fez 15 vítimas mortais. Em 2010, um outro abalo de magnitude 8.8, também seguido de um tsunami, atingiu o centro e sul do país e fez mais de 500 vítimas mortais.

[Notícia atualizada às 18:58]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.