José Correia, presidente do STAL, disse à agência Lusa que “o adiamento não decorreu por vontade do sindicato, mas por indicações de segurança da PSP”, e será reagendado para data a determinar.

Entretanto, numa nota enviada às redações, o STAL esclareceu que o protesto foi promovido pela “Campanha Água é de Todos”, tendo, no entanto, o sindicato comunicado a iniciativa para efeitos de legalização, enquanto membro da Comissão Promotora.

O protesto pretendia lembrar que a campanha entregou há dois anos uma petição “que ultrapassou todas as expetativas”, com cerca de 45 mil assinaturas pela manutenção da água e resíduos na esfera pública, considerou o dirigente.

José Correia destacou que, há dois anos, a petição só não foi aprovada “porque PSD e CDS votaram contra”.

“Agora queremos lembrar que a correlação de forças na Assembleia da República se alterou e hoje é possível que o conjunto de forças que há dois anos votaram a favor poderem retomar o assunto, porque hoje têm a maioria”, acrescentou José Correia.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.